O coaching e o mentoring são métodos de desenvolvimento de pessoas que podem ser aplicados à quase todas as áreas da vida.

Embora tenham benefícios similares para o cliente, eles se diferenciam na abordagem, cada um com suas vantagens e limitações. É por isso que na maioria das vezes o ideal é combinar as duas técnicas, de forma que o cliente tenha um atendimento completo e todas as suas necessidades atendidas.

Neste post, explicamos de maneira simples quais são as diferenças entre mentoring e coaching e mostramos porque é interessante usá-los simultaneamente.

Aproveite para descobrir, ainda, alguns segredos dos coaches de sucesso!

A principal diferença entre Coaching e Mentoring

O mentoring e o coaching são métodos de desenvolvimento pessoal, ou seja, são maneiras diferentes de alcançar resultados semelhantes.

O coaching é voltado para o desenvolvimento das pessoas vinculado à evolução pessoal e à busca por respostas internamente. Nele, o coach propõe a autorreflexão e ajuda o cliente a potencializar suas habilidades.

Já o mentor utiliza sua expertise para aconselhar, transmitir conhecimento e guiar seu cliente, especialmente no âmbito profissional. Ele também pode trazer respostas baseadas em sua experiência, algo que o coach nem sempre traz.

Tanto o mentoring quanto o coaching conseguem trazer bons resultados e desenvolvimento pessoal, quando aplicados por profissionais competentes, sendo que esses métodos funcionam ainda melhor quando estão juntos.

O ideal é mesclar as duas técnicas e utilizá-las concomitantemente, de acordo com o grau de experiência e com o nível de consciência que o cliente possui.

Como mesclar as metodologias para obter mais resultados

Para usar o mentoring e o coaching juntos é preciso analisar o perfil do cliente, tendo em vista suas experiências anteriores, seu nível de autoconhecimento e suas habilidades.

No caso de um cliente que já é autoridade, o mais provável é que ele aproveite melhor o coaching, em detrimento do mentoring. O motivo é que ele já não tem tanto para aprender ou adquirir em experiência, mas pode se beneficiar de uma autoanálise. Todas as pessoas podem se desenvolver, ter mais foco, mais disciplina, entre outras competências.

No caso de um cliente inexperiente, o mentoring deve ser mais benéfico. Um coach não consegue extrair respostas de alguém que não possui uma experiência relevante na área, por isso pode compartilhar suas próprias vivências e auxiliar na construção de um caminho de sucesso.

Um exemplo prático

Para compreender com clareza a diferença entre o mentoring e o coaching, vamos exemplificar. Digamos que uma criança nunca jogou tênis e deseja aprender esse esporte.

Como a criança não tem nenhuma base na área, experiências relevantes ou habilidades, um coach não seria o ideal. É necessário ensinar regras, movimentos, posturas, entre outras questões. Ou seja, é preciso transmitir sua experiência para ela, como faria um mentor. Por meio do mentoring, seria possível mostrar o melhor posicionamento em quadra e a forma mais eficaz de empunhar a raquete, por exemplo.

Já no caso de um tenista profissional, o coaching seria mais útil. Essa pessoa já tem habilidades e conhecimentos da área, não é necessário ensiná-la, uma vez que ela é expert. Porém, é possível usar suas habilidades de coach para que ela se desenvolva, reconheça suas fraquezas e potencialize seus pontos fortes no jogo.

É claro que o coaching também seria bem-vindo para uma pessoa inexperiente, mas o mentoring seria melhor. Assim, ambos os métodos são eficazes, mas devem ser usados de acordo com o objetivo e com o perfil do cliente.

Como você deve se posicionar para ter sucesso como Coach e Mentor

Embora muitas escolas de coaching afirmem o contrário, a verdade é que para alcançar o sucesso com coaching e mentoring é necessário investir em um segmento específico de público.

É quase utópico pensar que você é capaz de ajudar qualquer pessoa e gerar resultados positivos mesmo sem entender como funciona a área de atuação dela.

Dessa forma, é necessário definir qual é seu campo de conhecimento e para quais pessoas suas experiências podem ser fonte de aprendizado.

Determine a área em que você pretende atuar e construa seu marketing a partir dela, posicionando-se como a melhor escolha para aquele nicho de público. Assim, além de ser um mentor ou coach melhor, você ainda tem mais chances de receber reconhecimento e se destacar na profissão.

O segredo não revelado: tem sucesso quem cria uma metodologia própria

Para ter sucesso na área de desenvolvimento pessoal, você precisa criar uma metodologia única, de sua autoria.

Pense nos grandes nomes do coaching e da mentoria no Brasil: eles certamente se posicionam como criadores de metodologias próprias, embora provavelmente tenham como base técnicas conhecidas de coaching.

Você precisa usar as metodologias já conhecidas (coaching, mentoring, consultoria, treinamento, entre outras) a favor do seu cliente, mas deve ainda escolher um nicho específico e entender os problemas e dores das pessoas desse nicho.

A partir daí, é possível identificar padrões e desenvolver uma metodologia única, para criar um produto personalizado que atenda especificamente à esse público.

Invente um nome para o seu produto, venda a promessa de um futuro melhor, tenha pacotes de serviços personalizados e torne seu trabalho um método autoral. Tudo isso faz parte de um processo de branding, cuja base é o método que você criou.

Ou você tem um negócio ou você vai sofrer muito para ter clientes

O segredo para crescer no mercado de desenvolvimento pessoal é entender que você tem um negócio, e assim precisa buscar clientes, concretizar vendas e divulgar seus produtos.

Muitas pessoas sofrem para conseguir clientes, pois tentam vender serviços de coaching e mentoria, que na verdade são apenas o meio para chegar aos fins. O coaching e o mentoring não devem ser o foco, e sim os resultados que essas metodologias podem trazer.

Ao se posicionar como um empreendedor de coaching ou mentoria, na verdade você pode acabar fazendo uma propaganda indireta das escolas que ensinam essas formações.

É preciso assumir uma postura diferente e criar a sua própria marca e fortalecer seu posicionamento como alguém capaz de solucionar problemas. Essa é a chave para ter clientes e impactar a vida das pessoas.

Todo Coach precisa de Mentores e todo Mentor pode se beneficiar de Coaching

Se o mentoring e o coaching são tão relacionados e trazem tantos benefícios quando estão juntos, nada mais natural que possam também ajudar um ao outro.

O mentor é uma pessoa com know-how, que utiliza sua expertise para ajudar no crescimento pessoal e profissional de outros. Todo coach já passou por esse processo, aprendendo com um mentor como exercer seu papel.

Já o coach é capaz de fazer com que você enxergue por perspectivas diferentes e alcance resultados melhores a partir de mudanças de atitude. O mentor também é um ser humano e por isso pode se beneficiar desse processo como qualquer outra pessoa.

Conclusão

Ao contrário do que algumas escolas de coaching pregam, a experiência do coach na área em que seu cliente atua é muito relevante. É preciso que o coach conheça o assunto e esteja sempre um passo à frente do cliente, pois o mais importante é gerar resultado para as pessoas. Escolhendo um nicho de mercado em que você já tem experiência e se destaca, é possível criar sua própria metodologia e ter muito sucesso.

Embora sejam métodos diferentes, o mentoring e o coaching devem sempre andar juntos. Quando são integrados, eles apresentam resultados melhores e qualificam a experiência do seu cliente.Ambos os métodos são de grande interesse para empreendedores e profissionais de todas as áreas. Para saber mais sobre como ser um coach de sucesso, leio o artigo Mentoria para Coaches: Como escolher certo!