O mercado de infoprodutos é um dos que mais tem crescido nos últimos anos, impulsionado pela facilidade em se desenvolver produtos digitais e comercializá-los em plataformas especializadas no segmento.

Porém, ao mesmo tempo em que crescem os investimentos nesse nicho, sobram infoprodutos encalhados na web, com pouca ou nenhuma venda. O motivo é simples: infoprodutos deveriam ser sua última escolha na hora de empreender online.

Quer saber o porquê? Continue a leitura!

O maior erro que as pessoas cometem ao pensar em ganhar dinheiro na internet

Quando uma pessoa abre um negócio físico, como uma loja ou um salão de beleza, ela considera algo natural pagar aluguel, energia elétrica, água, infraestrutura e funcionários. Por outro lado, quando se trata de um negócio digital, muitas pessoas acreditam que não é preciso investir nada.

Baseando-se em raros casos de sucesso que saíram do nada, como alguns youtubers ou influenciadores digitais, profissionais que desejam ganhar dinheiro na internet creem que basta criar um infoproduto qualquer, divulgar na web e voilà, o dinheiro começa a chegar como que por milagre.

Mas a história não é bem assim. Se você deseja ter sucesso na sua carreira e ganhar dinheiro na internet com o seu conhecimento, precisa empreender com profissionalismo.

Primeiro, é necessário definir seu público, identificar suas dores e então desenvolver uma solução que possa ajudar de verdade essas pessoas. E isso exige investimento de tempo.

Com a solução pronta, você começa a construir sua reputação online, o que vai atrair pessoas interessadas na sua solução. Só então o dinheiro começa a chegar.

O cemitério gigantesco de infoprodutos que não vendem ou não causam transformação

O mercado de infoprodutos tem crescido muito nos últimos anos e a tendência é que cresça ainda mais, com a venda de e-books, podcasts, cursos, entre outros. Porém, você já parou para pensar em quantos desses infoprodutos realmente vendem?

Para você ter uma ideia, em 2018, a Hotmart, que é a maior plataforma de infoprodutos da atualidade, tinha cerca de 150 mil infoprodutos sendo vendidos. No mesmo ano, foram contabilizados 5 milhões de compradores.

Com uma conta simples, você vai descobrir que a média de vendas para cada infoproduto disponível na plataforma foi de 33,33 no ano. Sabendo que existem infoprodutos que vendem milhares de unidades, fica fácil compreender que existem outros tantos que não vendem nada ou quase nada.

E por que esses infoprodutos não vendem?

Existem vários motivos que podem ter levado à formação desse verdadeiro cemitério de infoprodutos. Um deles é a falta de planejamento e a crença de que é só criar qualquer coisa e colocar ali para vender.

Outra questão que influencia no sucesso ou não de um infoproduto é a qualidade do mesmo. Se ele não traz algo útil, que cause uma transformação real na vida das pessoas que o compraram, fatalmente ele será mal avaliado e deixará de vender.

Por fim, também existe a inabilidade do infoprodutor de divulgar seu produto e atrair pessoas interessadas, o que acarreta em mais um infoproduto encalhado na prateleira das soluções online.

Pense com a cabeça do cliente: você prefere acompanhamento ou informação?

Se você fosse fazer um investimento em um curso ou treinamento, o que preferiria: a informação pura e simples ou a informação apoiada por um acompanhamento especializado?

Provavelmente, sua resposta foi a segunda opção. Afinal, ter um profissional com expertise para tirar dúvidas, orientar ações, trocar ideias e corrigir algumas falhas iniciais agrega muito mais valor.

Embora o investimento inicial possa ser maior do que a compra de um infoproduto, os seus clientes perceberão o mesmo diferencial que você percebeu quando perguntamos qual seria sua escolha.

Desse modo, procure sempre pensar com a cabeça do seu cliente. Assim, você vai saber o que ele valoriza mais e poderá, então, oferecer soluções que estejam alinhadas com não só com o que ele pensa, mas também com o que gostaria de receber.

Casos em que o infoproduto é uma boa ideia

Existem alguns casos em que a criação de infoprodutos pode ser uma boa ideia. No entanto, aconselhamos a nunca começar pelo infoproduto, mas sim por um trabalho mais próximo aos seus clientes, com acompanhamento.

O infoproduto é uma boa ideia quando você tem uma ferramenta que já se provou útil em várias ocasiões, como um sistema de gestão, uma planilha de controle ou uma ferramenta de edição, por exemplo.

Se você já possui muita experiência na sua área de atuação e desenvolveu uma metodologia própria que pode ser ensinada por meio de um infoproduto, também vale a pena desenvolver essa solução. Neste caso, é interessante acompanhar os primeiros clientes no processo de adaptação e uso da ferramenta e depois consolidar essa experiência em uma versão melhorada do seu infoproduto.

Você também pode usar sua autoridade no mercado para criar infoprodutos que levem o seu nome e, assim, conquistar mais vendas. É preciso estar ciente de que a sua assinatura no infoproduto terá um peso bastante grande, portanto, é essencial garantir a qualidade da solução para não acabar afetando sua reputação no mercado.

Antes de lançar qualquer infoproduto, é essencial que você comprove que ele tem a capacidade de transformar a vida das pessoas de forma real. É dessa maneira que você atingirá o sucesso, caso opte por seguir este caminho.

Vender antes de produzir: a ideia contraintuitiva que vai te poupar muito tempo e dinheiro

Quando estamos desenvolvendo uma ideia de negócio, o senso comum nos diz que é necessário ter um produto pronto e só então partir para a venda. É com esse pensamento que muitas pessoas fracassam ao empreender pela internet.

Imagine a seguinte situação: você passou três meses desenvolvendo um infoproduto e agora vai começar a vendê-lo. Passam-se um, dois, três, seis meses e nada de vendas. Todo o seu esforço, tanto no desenvolvimento do infoproduto quanto no marketing, foram por água abaixo, certo?

Agora, inverta a lógica: você tem uma ideia que parece genial. Já esboçou uma solução que consiste em um acompanhamento de 8 semanas, sendo que você terá uma reunião semanal com seus clientes. Mas não tem nada pronto ainda, apenas um esboço.

Você começa a vender essa ideia e, pouco a pouco, vão aparecendo alguns interessados. Pronto, você já concretizou algumas vendas, mesmo sem ter investido tempo e dinheiro no desenvolvimento da solução.

Você já rentabilizou seu negócio. Agora, com dinheiro em caixa, é só terminar de desenvolver sua ideia e entregá-la aos seus clientes. Como o programa é dividido em 8 semanas, dá para desenvolver módulo por módulo, sem pressa e com a certeza de que seu infoproduto foi aceito no mercado.

Essa ideia pode parecer contraintuitiva, mas vai te poupar muito tempo e dinheiro.

O valor do feedback: infoprodutos são a última etapa da construção de um negócio

Se você optar por desenvolver seu negócio baseado no acompanhamento de um para um, verá que um dos maiores benefícios que você poderá colher são os feedbacks das pessoas atendidas.

Ao longo do período de acompanhamento, você poderá entender a evolução de cada cliente, analisar o que deu certo e o que deu errado em cada caso e aprimorar seu método até que ele possa ser transformado em um infoproduto de qualidade, que contribua verdadeiramente para a vida das pessoas.

Assim, suas chances de sucesso se tornam muito maiores, pois sua solução já terá sido testada e aprovada pelo mercado.

Quando você chegar nessa etapa, ficará fácil identificar a melhor forma de escalar seu negócio digital, seja por meio da venda de um e-book, de um curso ou de uma ferramenta online.

A brutal diferença de qualidade entre infoprodutos validados e aqueles que saíram da cabeça do infoprodutor

Existe uma diferença brutal de qualidade entre um infoproduto que passou por uma validação de mercado antes de ser lançado e um que saiu da cabeça do infoprodutor e já foi lançado na internet.

O que queremos dizer com isso?

Se você teve uma ideia de um infoproduto, foi lá e o produziu, guarde-o por um tempo. Comece oferecendo esse conhecimento sem o apoio do infoproduto, desenvolvendo um acompanhamento individual com cada cliente interessado na solução. Faça isso por alguns meses.

Depois, reveja seu infoproduto. A experiência adquirida ao longo desse período em que você ofereceu acompanhamento individualizado vai trazer um novo olhar sobre a sua solução e você vai perceber a diferença de qualidade entre a ideia inicial e a ideia acabada.

A razão é simples: quando temos uma ideia, podemos considerá-la genial. Mas não temos a validação do público que realmente fará uso desse conhecimento. Sendo assim, é impossível prever se a ideia é realmente boa e aplicável ou é apenas fruto da nossa empolgação inicial.

Por outro lado, quando você joga essa ideia para o mercado validar, é possível identificar pontos de melhoria, evoluir sua estratégia e desenvolver infoprodutos melhores e mais alinhados ao que o mercado espera.

Conclusão

Infoprodutos devem ser a última escolha se você deseja trabalhar na internet porque são a etapa final de uma experiência necessária para que você adquira mais autoridade e conhecimento sobre o nicho de mercado em que está atuando.

Sem conhecer seu público, suas dores e expectativas, fica difícil desenvolver um infoproduto que tenha a qualidade necessária para se tornar um sucesso de vendas na web.

Agora que você já sabe que os infoprodutos são a última etapa da sua jornada como empreendedor digital, que tal saber como trabalhar com marketing digital sem vender infoprodutos?